domingo, 11 de agosto de 2013

InterTV faz nova matéria sobre as desapropriações do Porto do Açu


A InterTV produziu outra reportagem que foi ao ar hoje no "InterTV Rural". A partir da lógica de "ouvir os dois lados", a reportagem primeiro mostrou o lado da CODIN e da LLX, onde beneficiados (seriam mesmo?) com a alocação na Vila da Terra dão seus depoimentos, juntamente com os depoimentos de um engenheiro agrônomo e da senhora Gleide Gomes, que vem a ser a coordenadora de (ir) responsabilidade Social da LLX. Nessa parte da matéria, duas coisas óbvias:

1) os entrevistados não eram típicos agricultores do V Distrito, mas um pescador e um trabalhador de uma usina de cana e açúçar! Isso ficou mais explícito na fala do engenheiro agrônomo quando ele afirmou que "mesmo aqueles que não tinham tradição, hoje tem uma pequena produção doméstica para o seu consumo próprio e isso talvez os incentive a ter uma agricultura comercial".

2) O fato de que a Vila da Terra só abriga até hoje 33 famílias, o que está muito aquém do número que foi desapropriado. 

Na segunda parte, o principal número é o de famílias que ainda resistem às desapropriações, em torno de 150, o que acaba de vez com o mito disseminado pelo (des) secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Júlio Bueno, que a resistência às desapropriações é algo externo à comunidade do V Distrito.

Além disso as falas do representante da ASPRIM, Rodrigo Santos, e do Sr. Sérgio Toledo, filho do Sr. José Irineu Toledo, desnudam de vez a falácia de que a área não era produtiva e de que as desapropriações estão sendo feitas de forma a respeitar os direitos dos agricultores.

video