quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

O COMPLEXO PORTUÁRIO-INDUSTRIAL DO AÇU PODE SER A COMPANHIA SIDERÚRGICA DO ATLÂNTICO DE AMANHÃ

Para quem acha que os fatos ocorrendo no V Distrito de São João da Barra são um fato isolado no território fluminense em tempos de licenciamento ambiental tipo "Fast Food" engendrado por (des) secretário estadual de Meio Ambiente e ex-ambientalista Carlos Minc, a verdade é que não é.

Outro caso emblemático da estratégia do "desenvolvimento a ferro e fogo" de Sérgio Cabral e Carlos Minc é o da Companhia Siderúrgica do Atlântico, de propriedade da corporação alemã Thyssen-Krupp, que erguida às margens da Baía de Sepetiba, se tornou um dos maiores símbolos de um modelo de crescimento que não se importa com os pobres e com o ambiente onde vivem.

O vídeo abaixo que, não por mera coincidência se intitula "Desenvolvimento a Ferro e Fogo" mostra a história de como a TKCSA foi construída, e de como os métodos empregados se assemelham ao que está sendo aplicado no V Distrito de São João da Barra.

video