quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

A EXPLOSÃO NA COMPANHIA SIDERÚRGICA DO ATLÂNTICO QUE NINGUÉM FICOU SABENDO. É ESSE O MODELO DE DESENVOLVIMENTO QUE VAMOS EXPERIMENTAR TAMBÉM NO COMPLEXO DO AÇU?

Quando o assunto são os mega-empreendimentos como os instalados na Baía de Sepetiba e na região do Açu em São Jõao da Barra a conversa sempre é sobre um suposto desenvolvimento que geraria milhares de empregos e ocorreria em perfeita harmonia com o meio ambiente e com as populações que tradicionalmente habitam os territórios que são escolhidos para sediar essas empreitadas.

Mas é isso sempre se transforma em realidade do jeito que os propagandistas de plantão anunciam e que os artistas de cara bonita da Rede Globo são contratados para publicizar?  Se tomarmos como exemplo a Companhia Siderúgica do Atlântico do Grupo Thyssen-Krupp a resposta é um sonoro não. Desde que esta planta começou a operar, a população de Santa Cruz está sendo submetida a um piores episódios de contaminação ambiental em todo o planeta.

De quebra, os empregados da CSA e os habitantes dos bairros localizados no seu entorno são obrigados a conviver com perigos constantes. O vídeo abaixo mostra uma situação de completo pânico que ocorreu na CSA no final de Novembro de 2011 e que foi totalmente abafado pela mídia corporativa. Aliás, só ficamos sabendo desta situação de profundo risco social e ambiental porque um operário gravou e distribuiu para as organizações sociais que vêm denunciando as graves violações ocorrendo em Santa Cruz.

É esse o modelo de "desenvolvimento" que Sérgio Cabral e Eike Batista estão trazendo para o norte fluminense? Pelo preâmbulo do mega-empreendimento do Açu tudo indica que sim. Afinal, quem desrespeita no início da construção, vai começar a respeitar depois por qual razão?

Assista o vídeo e pense bem... é isso o que queremos para as nossas futuras gerações?

video